25/04/2010

2ª Série - A União Ibérica e a invasão holandesa

De 1580 até 1640 Portugal vive uma situação atípica. O rei Dom Sebastião morre em 1578 na batalha de Alcácer-Quibir, tal batalha foi uma Cruzada que o monarca resolveu fazer acreditando que seria vitorioso pois para ela essa era a vontade de Deus. Com sua morte Portugal fica sem descendente real, pois D. Sebastião não tinha filho, seu tio, o parente mais próximo e sucessor, D. Henrique, havia falecido em 1580. Inicia-se uma disputa pela coroa, dessa disputa sai vitorioso o rei da Espanha, Filipe II que era descendente, por parte de mãe, da família real portuguesa. Quando ganha a disputa surge a União Ibérica, Portugal e Espanha unem-se sob o mesmo governante.
“O reinado espanhol estendia-se até aos Países Baixos (Holanda e Bélgica). Algumas províncias dessa região, descontentes com o domínio católico e com a cobrança de pesados tributos lutavam para se tornar independentes da Espanha. A situação se complicou ainda mais quando Felipe II proibiu o comércio da Holanda com as colônias lusitanas. Resultado: os holandeses invadiram e conquistaram territórios pertencentes à Espanha, em especial, aqueles destinados ao tráfico negreiro na África e à produção de açúcar na América portuguesa.” No Brasil, em 1630, conquistaram Pernambuco.
Maurício de Nassau foi quem a Companhia das Índias Ocidentais (companhia que foi responsável pela colonização holandesa) enviou para governar os territórios holandeses no Brasil. Inicialmente as relações entre o novo governo e a população de Pernambuco foi amistosa. Nassau empreendeu várias obras de melhoria e infra-estrutura na colônia. Todavia, a Companhia resolveu modificar o comportamento com os senhores de engenho, cobrando os empréstimos que lhes havia concedido, executando os que não pagassem as dívidas, acrescendo juros à dívida inicial. Maurício de Nassau contrário a essa postura, se retirou do Brasil.
Os senhores de engenho rebelam-se com a situação e em um movimento conhecido como Insurreição Pernambucana, expulsam os holandeses. Mas se a Holanda invadiu Pernambuco, por que a União Ibérica (Espanha e Portugal) não a expulsaram? Durante esse período Portugal concentra forças em uma luta contra a dominação Espanhola, em 1840 Portugal consegue a separação, embora a Espanha continue atacando Portugal até 1644. Dentro desse período os recursos são escassos para uma investida sobre a Nova Holanda, pois Portugal estava concentrado em sua defesa contra a Espanha. A expulsão dos holandeses de todo o território nordestino vai ocorrer apenas em 1653, ai sim com o apoio do exército e marinha portuguesa.
Na busca de soluções para sair da crise em que se encontrava, Portugal tem uma série de iniciativas no sentido de controlar o comércio e os territórios brasileiros, cria companhias como a Companhia Geral de Comércio do Brasil e a de Comércio do Estado do Maranhão, cria o Conselho Ultramarino para ampliar o controle sob os domínios coloniais. Com o objetivo de garantir posse sobre seu território e ampliá-lo ainda mais, o governo Português incentiva a exploração do interior do Brasil na busca de pedras preciosas e funda a Colônia de Sacramento, em 1680, nas margens do Rio da Prata, para facilitar o acesso aos metais extraídos das minas da América Espanhola.
Mas isso é assunto pra um próximo post!
=)

Nenhum comentário:

Postar um comentário